quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Cantinho Espiritual do Leitor - Jeanne Geyer


(Obrigada, querida Silvana Haddad: http://meusdevaneiosescritos.blogspot.com.br/ )


Colaboradora de hoje, do Cantinho Espiritual do Leitor que será toda Quinta Feira: Jeanne  do blog (segunda participação):

http://alquimistadoser.blogspot.com.br/

Procurando Deus.

Para entender Deus usei o cinzel da inocência original e pacientemente retirei séculos de ignorância, palavras vãs, conceitos puramente humanos e transitórios que permeavam meu corpo e minha mente.
Assim despida, nua e pura, comecei a ler. Li todos os livros.  Usando a sensibilidade li nas pessoas seus mais íntimos sentimentos.
Olhei para o intimo de minha alma e percebi que ainda faltava muito. Assim, li o livro da natureza, os livros dos homens e estudei o comportamento dos animais.
Oh! Pobre de mim, quão pequena me sentia perante a grandeza da criação.
As leituras penetraram a alma formando novas camadas de teorias inúteis.
Deus! Onde estás?
Como última tentativa, retomei o cinzel da inocência, ora transformado em sabedoria, e retirei novamente as camadas de saber acumuladas.
Deus, aqui estou nua e pura, minha alma está pronta para te receber. Habita este lugar sagrado e terei paz.


Sem resposta e com súbito entendimento, vi que a paz estava estabelecida.
A busca acabara.
Em paz, revi os anos de procura em antros de perdição, na sordidez das ilusões compradas em suaves prestações, no luxo, no lixo.
Eis que o impulso do rico era o mesmo impulso do pobre.
O impulso da virtuosa, igual ao da devassa.
Palavras eram enfeites fúteis que desviavam a atenção do ser de sua essência.
Pobres seres vivendo na superfície. Nem rio somos. 
Somos meros espelhos d’água a refletir realidades virtuais. 
O impulso de vida. A força que faz com que a vida pulse tanto na alegria como na tristeza, na saúde e na doença. O imponderável elo que nos une mesmo quando não percebemos, mesmo quando estamos em guerra. 
Nestes anos de procura ouvi a voz interna que me dizia pacientemente: ou vocês triunfam juntos, ou destruir-se-ão lenta e dolorosamente.
Era Deus. Deus era o impulso vital que habita a alma de todos, mesmo daqueles que parecem sucumbidos, doentes, ausentes, perdidos.
Pois que é nas zonas abissais que Ele tem mais força e usando apenas sua fé nos remete novamente à vida.
Em paz, entendi que Deus era a busca incessante, o despir-se de falsas ilusões, a constatação irreversível de minha pequenez. Deus era o impulso vital que me trouxe a infância perdida.

Deus era a paz.

Partilhemos sobre a mensagem:
Que bom?

Que tal?


Obrigada, Jeanne...



Presente da amiga Sil:


Participações:
















25- http://www.idade-espiritual.com.br/2014/09/cantinho-espiritual-do-leitor-verena.html



12 comentários:

  1. Oiii tudo bem estou fazendo parte da troca e vim te conhecer....
    Olha o meu blog esta com problema de virus e estou tentando resolver... mas ja estou te seguindo....beijokas

    Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida Patty
      Seja bem vinda e gosto de interagir... a troca de mimos de Primavera vai ser bem legal!!!
      Bjm fraterno

      Excluir
  2. Linda mais essa participação! bjs às duas,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida Chica
      Obrigada por participar assiduamente...
      Bjm fraterno

      Excluir
  3. Adorável mimo que a Sil te presenteou =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida Bell
      A net nos proporciona boas amigas... a Sil é uma delas...
      Bjm fraterno

      Excluir
  4. Boa noite Rosélia, que linda procura!
    Achei o texto belíssimo e transcrevo o pedacinho que mais me tocou:
    «Era Deus...
    Pois que é nas zonas abissais que Ele tem mais força e usando apenas sua fé nos remete novamente à vida!»!
    Só Ele é o Deus da Vida!
    Só Ele nos pode salvar!
    Beijinho fraterno.
    Ailime

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida Ailime
      Tenho que endossar o que recortou com toda certeza... é lá que Ele nos busca e endireita...
      Belíssima escolha do que mais lhe tocou, amiga!!!
      Obrigada por participar...
      Bjm fraterno

      Excluir
  5. Oi Rosélia,
    Às vezes, caminhamos quase todo o nosso itinerário de vida à procura de Deus, uma procura incansável e inútil, pois ele sempre esteve e está ao nosso lado para nos dar forças nos mais difíceis problemas que enfrentamos no nosso viver. Só não podemos perder a fé, pois Ela tem que estar em todos os lugares ao mesmo tempo e o sobrecarregamos demais.
    Linda a partição da Jeanne: Você escreve muito bem.Parabéns
    Beijos a todas
    Lua Singular

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida Dorli
      Bela percepção da procura e da busca divina... é assim mesmo!!!
      Ainda bem que a fé é um Dom, amiga!!!
      Obrigada por participar com tanto esmero...
      Bjm fraterno

      Excluir
  6. Olá linda amiga! Este lindo texto da Jeanne me fez lembrar de outro texto que li de um garoto que pergunta ao pai qual o tamanho de Deus e o pai responde: qual o tamanho daquele avião lá no céu? E o filho respondeu: pequeno, quase não dá pra ver! Então o pai levou o filho ao aeroporto e novamente perguntou: e agora, qual o tamanho de avião? O filho respondeu: nossa! Esse é enorme! Então disse o pai: assim é Deus! Quanto mais próximo vc estiver de Deus, maior Ele será na sua vida! E refletindo o texto da Jeanne, qto mais temos Deus por perto, mais nos redescobrimos na vida e maior tbm será a nossa paz!
    Felicidades para vcs!
    Bjs, fiquem com Deus! ❤️
    www.viveraprendendo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, querida amiga Sileni
      Me lembro bem do texto que vc nos apresenta e tem tudo a ver mesmo...
      Deus nos faz autoconhecer... que pérola vc extraiu do post!!!
      Obrigada por sua excelente participação...
      Bjm fraterno

      Excluir

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...