quarta-feira, 18 de novembro de 2020

O que o Pequeno Príncipe tem em Comum com o Evangelho?

 





A grande lição do Pequeno Príncipe

"Era uma vez um homem que vivia pelos céus até que foi trazido para a terra. Nesse evento, ele foi cativado pelo olhar de uma criança que, comparado a tudo que ele era, parecia tão efêmera a ponto de desaparecer com um simples sopro seu. Ela lhe pedia coisas simples e ele as atendia, pois eram genuínas e tinham tanto a dizer que logo depois seriam escritas e transmitidas aos homens que tivessem ouvidos para ouvi-las.

Mas um vilão espreitava de longe e tramava seu plano. A presunção era paciente e aos poucos ela dizia que aquela história não trazia nada de novo, era repetida e com apenas uma palavra começava a destruir a bela mensagem: clichê.

Porém, para seu azar, ela descobriu-se impotente perante um tipo diferente de gente: as crianças.

Não havia como a presunção adentrar o coração dos pequeninos, pois eles ainda não se julgavam conhecedores coisa alguma. Não sabiam sobre o sol, a gravidade, os carros, e a cor do céu poderia muito bem ter sido espalhada com um pincel gigante.

Eles ouviam a história trazida pelo homem que veio do céu e não se cansavam. Pediam-na de novo e de novo sem nunca se cansar de ouvi-la, e cada vez seus olhos brilhavam e o sorriso se abria pois algo novo sempre surgia daquele mesmo conto.




Então o discurso sobre amar, sobre cuidar de quem amamos, sobre olhar as estrelas e enxergar mil coisas através do seu brilho, foi salvo. E o plano da presunção foi destruído graças a este segredo: basta ouvir como criança.




Antoine de Saint-Exupéry era aviador e vivia pelos céus quando – segundo relata – teve uma pane no Saara e lá se encontrou com seu Pequeno Príncipe pela primeira vez.

Cristo saiu do seu assento celeste para descer à Terra e encontrar com todos os demais filhos de seu Pai.

Citações do Pequeno Príncipe são clichês, falar dos Evangelho é quase a definição de clichê. Porém, foi já ciente de como o coração humano pode se encher de altivez e presunção que Jesus deixou uma advertência para aqueles que buscam adentrar o Reino dos Céus:


"Eu lhes asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus.”"




Quem ignora o conselho está fadado a viver feito gente grande no próprio asteroide, sozinho.


P.S.  A postagem ficará alguns dias no ar...


14 comentários:

  1. Que lindo e conmo é boa e pena não dura pra empre a simplicidade, ingenuidade das crianças... Elas são despretenciosas. Adorei! Belo tema e post! beijos, ótima semana,chica

    ResponderExcluir
  2. Nunca tinha pensado no "Pequeno Príncipe" com esta profunda espiritualidade.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Uma excelente postagem que me deu uma nova maneira de encarar o "Pequeno Príncipe de outra forma.
    Abraço, saúde e boa semana

    ResponderExcluir
  4. Muito lindo Rosélia..."basta ouvir como uma criança" 👏👏👏👏

    ResponderExcluir
  5. Um relato marcante e fascinante de ler. Gostei muito.
    .
    Feliz início de semana
    Cumprimentos

    ResponderExcluir
  6. Muito pertinente, reflexiva e linda a analogia do Pequeno Príncipe com Jesus. Desde a pureza a verdade que são características reais das crianças, encontramos vestígios fortes nesta história, as quais, também, são fortes em Jesus.

    Abraços fraternos!

    ResponderExcluir
  7. Olá, Rosélia! Ótimo texto.
    Confesso que tenho vivido há algum tempo no meu asteroide por questões de paz mental mesmo.
    Tem certas coisas com as quais eu costumava lidar que, além de roubarem meu tempo e minha paz de espírito, estavam me deixando triste e até doente. Meu asteroide é um lugar seguro, onde eu aprendo a me conhecer e a me consertar, estabelecendo limites e horários de visita programáveis.

    Abraços, boa semana!

    ResponderExcluir
  8. "Deixai vir a mim as criancinhas", bem disse Jesus. Mas infelizmente e desnecessariamente, muitos adultos sufocam sua criança interior, daí, andarem "desendereçados de Deus e de si mesmos.

    Um abraço. Tudo de bom.
    APON NA ARTE DA VIDA 💗 Textos para sentir e pensar & Nossos Vídeos no Youtube.

    ResponderExcluir
  9. Uma analogia magnífica, Roselia. As crianças são caminhos porque não conhecem diferenças e ódio. Deixamos aquela fase, mas precisamos manter a espontaneidade maravilhosa delas. E a pureza de alma. Bjs.

    ResponderExcluir
  10. "Deixai vir a mim, os pequeninos"
    Que de mais belo senão a inocência?
    Lindo, Rosélia
    Beijinho

    ResponderExcluir
  11. Boa noite, Rosélia!

    No grande conflito entre o bem e o mau, não devemos fazer menos do que receber o Amor de Deus Redentor, nosso Salvador. E se assim, feito crianças, não nos deixarmos moldar pelo Autor da Vida, endurecidos... se quebrarão, infelizmente.

    Incrível pesquisa e post.

    Beijo!!

    Renata e Laura

    ResponderExcluir
  12. Bom dia Amiga Rosélia,
    Ser como criança, ouvindo e sentindo tudo o que poderia nos fazer mais conscientes, mais felizes e aos outros. Nosso coração teria mais paz.
    Muito bela esta analogia entre o Evangelho e o Pequeno Príncipe.
    Para meditar.
    Um beijinho e um dia muito abençoado.
    Ailime

    ResponderExcluir
  13. Ter a simplicidade e a pureza de criança nos permite enxergar as pessoas mais profundamente.
    E mostrar que amar é o caminho para salvar a si mesmo,porque dependemos do outro mais do que gostamos de admitir.
    Tenha uma boa semana amada.
    Vela compreensão e grata pela partilha.
    🌺🌷🌻

    ResponderExcluir

Deixe sua Espiritualidade aqui, por gentileza

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...