terça-feira, 20 de setembro de 2011

Do Namoro ao Casamento



Papa aos namorados: não temer o casamento
O namoro deve ser um “caminho de fé”
ANCONA, domingo, 11 de setembro de 2011 (ZENIT.org) – O Papa Bento XVI celebrou um emotivo encontro com jovens casais de namorados na Praça do Plebiscido, em Ancona, neste domingo.
Ao se dirigir aos casais de namorados, Bento XVI os convidou a considerar o namoro como “um itinerário de fé” e a não ter medo de assumir as responsabilidades que o matrimônio cristão implica.
“A Eucaristia – disse o pontífice –, dom de Cristo para a salvação do mundo, indica e contém o horizonte mais verdadeiro da experiência que vocês estão vivendo: o amor de Cristo como plenitude do amor humano”.
“A experiência do amor tem dentro de si a tensão para Deus”, disse. Ele pediu que os jovens façam do tempo de preparação ao casamento “um itinerário de fé”.
Redescubram em sua vida de casal a centralidade de Jesus Cristo e do caminhar na Igreja”. “Não descuidem da importância vital deste encontro; da Eucaristia brota o sentido cristão da existência e uma forma nova de viver”.
“Não tenham medo de assumir a comprometida responsabilidade da eleição conjugal; não temam entrar neste ‘grande mistério’, no qual duas pessoas se tornam uma só carne”.
Esta foi a mensagem que o Papa deixou na tarde deste domingo aos casais e sacerdotes reunidos na catedral de São Ciríaco de Ancona, cidade costeira onde culminou o 25º Congresso Eucarístico Nacional Italiano.
O bispo de Roma pediu que se supere "uma visão redutiva da família, que a considera como um mero destinatário da ação pastoral".
O papa reconheceu que "neste momento difícil", certamente a família "precisa de atenção particular. Não por isso, no entanto, deve diminuir a sua identidade ou mortificada sua responsabilidade específica".
"A família é riqueza para os esposos, bem insubstituível para os filhos, fundamento indispensável da sociedade, comunidade vital para o caminho da Igreja", disse.
Por isso, na Igreja, "valorizar a família significa reconhecer a sua importância na atividade pastoral".
TEXTO RECEBIDO DE PRESENTE DE IR. MARIA ÁGUEDA DO MOSTEIRO DA VIRGEM DE GUADALUPE, ES

10 comentários:

  1. Amiga, que belo texto!

    Eu digo que o namoro é um preparatório pro casamento. Passamos por várias situações onde sabemos o que queremos. Somos provados e se passarmos por certas situações estaremos preparados pra assumir algo mais sério. Pelo menos foi assim conosco...

    A fase do namoro é bom, mas a do casamento é melhor ainda!

    beijos querida

    ResponderExcluir
  2. Casamento é uma maravilha...quando dá certo...rs.Eu penso que o Amor deve andar de mãos dadas à tolerância, compreensão, carinho,perdão....para que o convívio se torne um verdadeiro casamento.Abçs e muita paz!

    ResponderExcluir
  3. O matrimônio, entre almas afins, é a melhor e abençoada coisa do mundo!
    Abraços fraternos
    Léia

    ResponderExcluir
  4. Oi Rô! O casamento é uma missão que Deus atribui à algumas pessoas. E quando deixamos que Ele dirija o nosso viver, Ele faz tudo direitinho, as peças se encaixam como num grande quebra cabeça! Eu vivi essa experiência! E a família, com certeza, é a base da sociedade e precisa ser construída na Rocha firme que é Cristo! Bjks Tetê

    ResponderExcluir
  5. Oi, Rosélia!

    É interessante que seja dado ao casamento a devida importância, e que a igreja venha a investir nesse ponto,pois, a situação está cada vez mais caótica...
    Os jovens não têm interesse no casamento, namoram sem compromisso, e não atinam para a grandeza e as responsabilidades que ele encerra. É o berço da família, e a família, a célula mater da sociedade, e da igreja...
    O namoro é o caminho...
    Muito bom, amiga.

    Um abraço
    Socorro Melo

    ResponderExcluir
  6. Querida Amiga.
    Me perdoe a demora em visita-la
    eu queria ser perfeita para fazer a
    felicidade de todas minhas amizades,
    pois só assim me sentia muito feliz.
    Amo a cada um da mesma forma peço a
    Deus para viver minha vitória que
    certamente Deus tem preparada para mim.
    Uma linda tarde.
    Bejs carinhosos.
    Evanir

    ResponderExcluir
  7. Rosélia, a família é a célula da sociedade. É aí q aprendemos a nos amar. Infelizmente, hoje, os jovens não querem assumir essa responsabilidade e envolvem-se afetivamente de maneira irresponsável, as vezes gerando filhos. É responsabilidade do casal a criação desses filhos, portanto, as pessoas q assim procedem assumem um débito com Jesus. Muita paz!

    ResponderExcluir
  8. Rosélia, eu já passei por isso, mas era completamente desvirtualizada. O casamento acabou! É uma frustração, mas sempre aprendemos com os erros.

    Um grande beijo pra vc e uma ótima semana!
    Clara

    ResponderExcluir
  9. Amiga blogueira...
    Que postagem maravilhosa!!!
    É com o casamento que se inicia a FAMÍLIA...a base de tudo na vida!
    Beijos...

    ResponderExcluir
  10. Oi Rosélia!
    Passei dias sem passear pela blogosfera e vim agradecer suas visitas e palavras acarinhosas em meu blog.
    Que belo texto!
    A fase de namoro é um amadurecimento, um principiar de cumplicidade para o que vem em seguida, a união pelo casamento que formará a família, a célula da vida.
    beijos!

    ResponderExcluir

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...