sábado, 27 de março de 2010

Ser Criança




TEMPO DE BRINCAR

Quando criança, me recordo muito bem de que brinquei demais de pique... boneca, casinha, de professora... do " cravo brigou com a rosa"... de passar anel... de cantigas de roda... com meus primos e irmãos...
Ai que saudade!
Em minha casa tinha quintal grande, dois lotes, pé de goiaba... jardim, coqueiros diversos... e outros...
O lugar era interiorano e sem problemas de violência de espécie alguma...
Tinha minhas bonecas, adorava jogar, podia conversar com os primos de diversas idades... os tios perto sempre...
Cada vestidinho lindo eu usava... até hoje me sinto muito melhor de vestido ou saia... creio que é reflexo de criança... os laçarotes nos cabelos encaracolados... muito bem penteados...
Hoje, vejo meus netinhos... com carros de fricção, jogos no computador, controle remoto de todo tipo... sabem manejar os aparelhos modernos... mas não têm com quem conversar e brincar...
Antes, as minhas brincadeiras eram coletivas, grandes rodas e mil peripécias...
Brincávamos de adultos... de faz de conta... Mas permanecíamos crianças... muito legal!
Lia muitos livros de histórias dados pelo meu padrinho, me envolvia tanto com os personagens que até hoje gosto muito de ler e escrever e de viver mil sonhos na realidade... nada me amargurou a vida terminantemente... aqueles livros infantis se tornaram para mim uma lição de vida... fantásticos!
Aprendi que brincar é coisa séria... não é simples diversão... ajudou a construir-me...
Gosto de estar em grupos... trabalhar em grupos, participo de vários grupos...
Apesar de precisar e amar também o silêncio e a solidão, como é natural a todo ser humano, não me isolo o tempo todo fugindo de pessoas e suas problemáticas... Sei que é dom e necessidade por temperamento...
Volta e meia me vejo rodeada de gente e continuando a aprender...
Meus netinhos são da geração do computador... dos games... não acham graça em brincadeiras do tipo da minha infância... é natural!
Como eu cantei de pedrinha de brilhante, brinquei de amarelinha (adorava)... morto e vivo!
Jogar damas... dominó... pega varetas...
Sem espaço para brincarem, meus mimos não fogem a regra... de todos os demais meninos de sua época...
Na rua não podem brincar... tem carros enormes, nem precisam pedalar... andam sozinhos...e não podem ultrapassar da área do condomínio...
Fui muito exigida no bom comportamento, mas é a vida!
Mas tive motivos de sobra para aprender a conviver com conflitos e dores... Ainda bem!
Primeiro a creche... depois um colégio um pouco maior... que pena! Eles não conhecem as brincadeiras de criança e nem tem tempo de brincar...
O caçulinha canta as músicas que invento para ele e, no telefone, mesmo de outro Estado, me diverte (e canta divinamente bem) repetindo o que lhe ouso ensinar em meio a tanta carência de priminhos para lhe rodear...
A preferida dele é a do Joãozinho e da Maria: "eram dois amiguinhos, o Joãozinho e a Maria... eram dois irmãozinhos"...
Estudei muito e nem por isso, na minha infância, deixei de ter tempo de ser criança e tive tempo para brincar...
Fui criança!
Será que ainda não o sou?
Apenas cresci... ainda bem que a minha criança não morreu em mim...

7 comentários:

  1. As brincadeiras foram mudando com o tempo. Soltar pipa, por exemplo, é coisa que os pais jovens não sabem ensinar aos filhos, como vejo na pracinha em frente de casa.
    Pega varetas me deu saudade! Tinha aquele jogo de pedrinhas de mármore, chamado 5 marias, lembra?
    Quando estava preparando o vídeo da vida de nossos pais foi que me dei conta que a mãe fazia nossos vestidos sempre iguais até adolescentes!
    Acho bom alternar os games com brincadeiras ao ar livre e principalmente com outras crianças, por causa da sociabilidade, caso contrário ficam crianças individualistas, que não gostam de dividir, não é?
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Ainda bem que você mantem a criança viva em ti... Isso a faz ser essa pessoa especial que através das palavras toca corações!

    Um beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  3. Orvalho do céu, as brincadeiras do nosso tempo eram mais saudáveis, tínhamos inocência, hoje as crianças perdem a infância muito cedo, os próprios pais colaboram pra isso, tristemente!
    Temos algo em comum, trabalho na área de educação, não sou professora, sou administrativa.
    Sou católica praticante, participo de dois grupos onde sou líder.
    Vim visitar e já fiquei por aqui, sou sua seguidora também.
    Um grande abraço, tenha um ótimo fim de semana!
    Paz e bem!

    ResponderExcluir
  4. Cântico de Lívia

    Alma gêmea de minha alma
    Flor de luz de minha vida
    Sublime estrela caida
    Das belezas da amplidão...

    Quando eu errava no mundo
    Triste e só, no meu caminho,
    Chegaste, devagarinho,
    E encheste-me o coração.

    Vinhas na benção das flores
    Da divina claridade,
    Tecer-me a felicidade
    Em sorrisos de esplendor!

    És meu tesouro infinito.
    Juro-te eterna aliança
    Porque sou tua esperança,
    Como és todo meu amor!!
    Alma gêmea de minha alma
    Se eu te perder algum dia
    Serei tua escura agonia,
    Da saudade nos seus véus...

    Se um dia me abandonares
    Luz terna dos meus amores,
    Hei de esperar-te, entre as flores
    Da claridade dos céus.


    - Emmanuel / Chico Xavier -

    Beijos de coração prá coração!
    M@ria

    ResponderExcluir
  5. Oi, Gina
    Não me recordo da tal brincadeira...
    Dessa vez sou eu que to "veinha", né?
    Parecia que íamos pro bloco de carnaval...
    Engraçado demais... rsrsrs...Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi, querida
    Esse cântico é lindo!
    É tão bom a partilha, não é verdade?
    Muitas flores espirituais pra vc...
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi, Dora
    A liderança é um Dom e eu, por temperamento, prefiro a retaguarda, mas não tem jeito o microfone vem parar nas minhas mãos, onde vou, parece que está marcada a nossa testa... Deus é fantástico!
    Bjs fraternos

    ResponderExcluir

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...