domingo, 23 de agosto de 2009

Retire-se com seu Corpo ( VI )


Publicado em 01 de dezembro de 2008 no http://espiritual-idade.spaces.live.com/


Eis que chega o mês mais lindo do ano, segundo o que sinto...
E, neste primeiro dia, para me inspirar a olhar tudo o que há de vir com bons olhos, é exatamente o que escolhi para esta data:

Os olhos

Diferente do resto do corpo, preservam para sempre a propriedade divina do rejuvenescimento.
O sábio é um adulto com olhos de criança.
(Rubem Alves)

Segundo o livro que estamos refletindo de Rosa Maria Ferraz de Arruda e Aguirre e em comunhão com o que penso também, somos o resultado do que vimos, ouvimos e sentimos.

A gente passa a nossa emoção pelo olhar... e os nossos olhos refletem o que estamos sentindo. Não dá para a gente esconder, ficamos como que desmascarados...
Por nossos olhos, revelamos sentimentos de alegria, tristeza, malícia, suavidade, ternura...
Os olhos de Deus pousam sobre toda criação e penso que, se nós olhássemos tudo e todos com um olhar mais divino, seríamos mais misericordiosos, nos "dobraríamos" mais sobre a humanidade como ela realmente é e nem teríamos ânimo de praticar o mal a ninguém.
A criação extasia nossos olhos, todos se "rendem" diante da beleza das flores, do azul do céu, do brilho das estrelas, da água que corre, da beleza de cada animal, de todo colorido à nossa volta. 
A verdade é que tem dia parecido com o arco-íris... tem outro que não... Hoje, eu estou num destes dias menos coloridos mas na expectativa da Consolação que virá, pois sempre vem...
Recebi há vinte e cinco anos a graça de enxergar aquele que habita em mim! É com este olhar que preciso viver para que meus olhos brilhem sempre.
É essencial, na minha maneira de ver as coisas, poder também "ver" como o outro está... sobretudo aqueles que convivem mais de perto comigo...
Nos diversos grupos que participo, procuro estar atenta (com os olhos sobretudo) ao que me dizem sem palavras...
Às vezes vejo olhos lacrimejantes... outros, são altivos... outros, tímidos... outros, cheios de empatia com a gente...
Quanto aos lacrimejantes (hoje mesmo uma colega do grupo de pintura estava assim...), a gente pode dar logo um abraço e parece que as lágrimas se secam... ou se derramam mais...
Quando li sobre Inácio de Loyola e o Dom das lágrimas que ele recebeu, me consolei muito... Afinal, quando criança, a gente aprende que só os "fracos" choram... Que pena!
Depois que a gente cresce, vê que não é bem assim... Ainda bem, quanto a mim... é um alívio!...
Uma vez, há quase trinta anos, um professor me disse que meus olhos eram bonitos porque eu sempre os "regava"... Deus é sábio da forma que Ele nos faz.
Deus é Amor e olhos vencidos pelo desamor, pelo egoísmo... não podem vê-Lo. E como as pessoas perdem com isto...
Na dimensão vertical, devemos olhar para dentro do nosso coração para nos conhecermos mais profundamente, sermos mais humildes e enxergarmos que tudo é graça.
Hoje na minha oração pessoal, recebi como apelo uma necessária metanoia... fiquei meditando: queria ter a coragem de olhar para uma nova direção... ou olhar na mesma direção com outros olhos...

Hoje somos todos convidados a nos examinar: Como estão meus olhos?
São livres de rancor... inveja... malícia... maldade...?
Como me olho? E ao meu próximo?
Interessante como os "cegos" têm maior sensibilidade do que nós... nem percebemos quando magoamos o outro com o nosso descuido à uma gentileza, por exemplo... somos insensíveis muitas vezes...
O Pequeno Príncipe já nos ensinava, desde a juventude: "O essencial é invisível aos olhos, só se vê bem com o coração"...
Nesta época do ano, como temos dificuldade de ficar longe do materialismo... com os olhos não desapegados dos bens materiais...
Bartimeu saiu da sua condição de "cegueira"... saiu de sua condição de mendigo...
Podemos refletir sobre quais são nossas cegueiras atuais...
E, sobretudo, nossa cegueira espiritual... quando queremos olhar tudo segundo a nossa verdade...
Ainda em âmbito espiritual, enxergar a nós mesmos... Conhecer nosso interior...
Ninguém pode dar aquilo que não vê como necessário...
É preciso, pois, fazer um bom uso dos nosso olhos com a plena visão que recebemos ao nascer, gratuitamente.
Como nos dói um olhar de frieza diante de nossos sentimentos ou como dói no outro o olhar não compreensivo da nossa parte!
Como sugestão também podemos nos indagar com quais imagens alimentamos nossos olhos?

Nesta noite, podemos orar assim:

Ó Senhor, estou diante da vossa santidade e reconheço  que sou pecadora
Obrigada, porque me permites olhar para dentro de mim mesma e reconhecer o mal enraizado em meu coração.
Sondai-me, Senhor, mais profundamente e, aos poucos, dai-me consciência do que realmente sou, com meus traumas e defeitos. 
Libertai-me de todo o mal que me aprisiona em seus domínios; de todas as ideias erradas que formei no decorrer de meus dias. Salvai-me, Senhor!
Peço-Vos perdão por todo o mal que permiti entrar pelos meus olhos, pelos maus pensamentos e desejos.
Lavai meus olhos, purificai-os de toda maldade.
Dai-me a graça de ver o  mundo e as pessoas à minh volta com vosso olhar. Que eu não julgue e condene meus rimãos, mas possa, com misericórdia, olhar para dentro de seus corações e compreendê-los, aceitando-os da mesma maneira que vós me tendes aceito. 
Que meus olhos tenham pureza e com alegria eu possa contemplar todas as  obras  de vossas mãos. 
Amém!

Um comentário:

  1. roselia bezerra escreveu:
    OLHO para o espelho
    e vejo-te
    a ti.

    OLHO para o rosto de minha irmã
    e vejo-te
    a ti.

    OLHO um botão de rosa
    e vejo-te
    a ti.

    OLHO para o pão repartido
    e vejo-te
    a ti.

    OLHO para o fundo do cálice
    e vejo-te
    a ti.

    ResponderExcluir

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...