terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Retiro de Carnaval (IV)


Minha contemplação do Evangelho (Lc 11,1-13):

Desde novinha, aos oito anos, fui coroada com o dom da oração...
A minha primeira prece foi ao Anjinho da Guarda...
Fui crescendo me esquecendo um pouco de que rezar me era de extrema vitalidade... 
Deus não precisa da minha oração; quando madura, percebi isso nitidamente...
Sou eu que não posso viver, com qualidade de vida, sem oração...
O meu diálogo com o Senhor é vitalidade pura para o meu bem viver...
Me sento aos Pés do Mestre e fico extasiada diante de tanta Sabedoria...
Quado me ensinaram que deveria rezar se com vontade ou não, se sentisse algo ou não... minha vida mudou...
Faço do meu momento diário orante, o marco do meu dia e sem ele não posso respirar livremente...

Tenho alguns questionamentos hoje fundamentais para a minha própria vida:
Se Jesus rezava, por que eu posso me abster de fazê-lo?
Sou melhor do que Ele em quê para prescindir da oração a minha vida?


“Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou a seus discípulos”.


“Quando rezardes, dizei: Pai, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino.  Dá-nos a cada dia o pão de que precisamos,  e perdoa-nos os nossos pecados, pois nós também perdoamos a todos os nossos devedores; e não nos deixes cair em tentação’”

Antes,  me punia por não conseguir perdoar algumas pessoas mas orei incessantemente, com fé, e o Senhor Jesus veio em meu auxílio para aliviar o meu coração com ricos ensinamentos por sacerdotes amigos em Confissões ou Direção Espiritual diversas por esses mais de vinte anos de mais ardor missionário e comprometimento com o Reino...
Algumas delas eu vi que não era para estarem mais juntas comigo... ou seja, como eu passo, elas também passam... para me fazerem progredir na humildade...

Não fica mais rancor em meu coração pela oração feita com contrição (dom) mas elas se vão da minha vida... Deus dá felicidade às duas partes porque Ele é extremamente Bom...


“Se um de vós tiver um amigo e for procurá-lo à meia-noite e lhe disser: ‘Amigo, empresta-me três pães,  porque um amigo meu chegou de viagem e nada tenho para lhe oferecer’,  e se o outro responder lá de dentro: ‘Não me incomodes! Já tranquei a porta, e meus filhos e eu já estamos deitados; não me posso levantar para te dar os pães’;  eu vos declaro: mesmo que o outro não se levante para dá-los porque é seu amigo, vai levantar-se ao menos por causa da impertinência dele e lhe dará quanto for necessário.

Quando me deparo com esse texto, respiro forte e relaxo para seguir servindo não de má vontade a todos os que considero "enjoados, chatos ou similares"... afinal, quem sou eu para julgar os que podem ser até muito melhores do que eu?

(Pela força da oração)
 "Pedi e recebereis; procurai e encontrareis; batei e vos será aberto.  Pois quem pede, recebe; quem procura, encontra; e, para quem bate, se abrirá."

No dia de hoje, Senhor, quero Lhe pedir, uma vez mais, para dilatar o meu coração para o amor... para o perdão e para a missão... Concede-me essa grande graça, Pai Amado!

(Pela oração, ganho o Dom do Silêncio também)
 "Será que algum de vós, que é pai, se o filho lhe pedir um peixe, lhe dará uma cobra?  Ou ainda, se pedir um ovo, lhe dará um escorpião?"

Mesmo sem merecimento da minha parte, sempre o Senhor me ouviu e ouve... Só tenho a agradecer-Lhe  muito... por TUDO que me concede pela oração...



"Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o Pai do Céu dará o Espírito Santo aos que o pedirem!”

Tenho certeza absoluta, Meu Mestre Amado, que é assim: sou má, porém a Sua Graça me salva...


«Batei e abrir-se-vos-á»

Por confiar tanto no Senhor, hoje sou eu que bato à sua Porta santa...
Senhor me escuta...  mesmo diante da minha fraqueza e tolice cotidiana...
Faço hoje a minha súplica confiante:
Transforma o meu coração e minha alma para mais Amar e Servir pela força da minha pobre oração e pela Força do seu coração misericordioso...
Desde já agradeço muito... sei que sou e serei ouvida no seu devido Tempo... 
O Senhor é fiel!
Só não me dá o que não é bom para mim... 
Por caridade, nunca me retire o Dom da oração... serei como um coração sem corpo...
Sem oração, eu não posso sequer respirar...
Faz-me viver!
Obrigado...
Amém!

P.S. Eu não preciso ser "catedrática em oração" e sim entregar o meu amor a Jesus... a Ele, isso basta!
Graças a Deus!

7 comentários:

  1. Oi Rosélia
    Belo texto! Concordo plenamente contigo, a oração é algo muito importante, é o alimento para a alma, também não fico sem ela.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  2. Muito lindo amiga Rosélia e esse retiro nos deixa mais leve.
    bjs amiga
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  3. A oração é o momento que entramos em contato com Jesus e com Deus. Momento sagrado e necessário, que reabastece nossas energias, nos intui e direciona nossos passos. Muita paz!

    ResponderExcluir
  4. Olá Amiga, que "post" divino!
    Pela oração entramos em dialogo intimo com Deus cujo Coração Misericordioso está sempre aberto para ouvir os seus filhos muito amados!
    Que esses momentos estejam sempre presentes nas nossas vidas!
    Beijinhos fraternos.
    Ailime

    ResponderExcluir
  5. Oi Rô! Magnífica reflexão! Quando o dia está corrido e tumultuado, me esqueço de parar às 12h e às 18h para fazer minhas orações, mas ao levantar e deitar, dessas eu não abro mão! Não há mistério na oração: basta abrir o coração e conversar com Deus! Bjks Tetê

    ResponderExcluir
  6. Da eficácia da oração, só sabe quem experimenta. Excelente reflexão. Beijo! Renata

    ResponderExcluir

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...