terça-feira, 6 de agosto de 2013

Deixar-se Tocar Pelo Sagrado (III)




O dia inteiro reflito sobre a minha vida e a minha vocação.

A experiência de um dia tão triste que vivi há um tempo continua bem viva e presente dentro de mim.
O deserto ajuda-me a entrar em contato com esta região dentro de mim.
A santidade está em cada amanhecer e em cada por do sol...
Entro em contato com minha santidade, com o sagrado em mim.
Experimento como um Dom que aceito agradecida.
Penetra todas as fibras do meu ser...


Se continuarmos vivendo como vivíamos até então, ou também porque talvez aquilo que nos sustentou até agora não consiga mais nos sustentar, perdemos o chão- assim nos parece -sobre o qual havíamos, até aquele momento, construindo a nossa vida. Nosso chão desapareceu e, ficamos com a sensação de estarmos caindo num abismo sem fundo. Até que por fim, depois de termos caído bastante, o perdemos -assim esperamos- fazer a experiência de que no mais íntimo (profundo) de nós existe uma outra base de que até esse momento nós não tínhamos conhecimento. É a nossa base mais profunda mental, onde se torna possível para nós experimentar o encontro entre o passado e a eternidade.

Também podemos entrar em contato com esta base primordial através de nossos sonhos. Eles contém mensagens daquele mundo. Por um momento, permitem-nos lançar um olhar sobre esta base. Isto pressupõe que seja atribuído algum significado aos nossos sonhos e que tentemos recordá-los, que nos ocupemos com eles e nos deixemos inspirar e animar por suas mensagens deste outro mundo. Como um navio que desce para o fundo do mar e quer ficar protegido, esta base primordial se faz lembrar por meio  dos sonhos.
Ela é uma parte essencial de nós e não podemos cortá-la. Enquanto não lhe dermos atenção e não a integrarmos em nossa vida consciente, algo de muito importante nos estará faltando. Sentimos que estamos incompletos.
Falta-nos a profundidade sobre  a qual fomos estabelecidos e que nos une com todos os seres humanos, com a alma, com o eterno, com Deus.


Continua a série depois de amanhã...




Clique aqui... é para você se sentir em casa:


4 comentários:

  1. Estou acompanhando e gostando! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. O Centelha Divina habita o âmago do nosso ser.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Ontem passei, literalmente, o dia na rua e nem pude ligar o computador, mas passo hoje para não perder nenhum post da série... Acho que foi Exupery que falou que o que há de mais bonito no deserto é chegar à um oasis... e, normalmente, as experiências de deserto terminam no oásis divino! Bjks Tetê

    ResponderExcluir
  4. Devemos nos esculpir para a centelha divina que habita em nós , como bem o disse , nosso amigo Élys, brilhe e é principalmente nos desertos que atravessamos que essa Luz tem que se intensificar para nos fortalecer quando pensamos que perdemos o chão! Fique bem e na Paz, a paz inquieta do Senhor!

    ResponderExcluir

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...