quarta-feira, 12 de setembro de 2012

À flor da Pele (VII)



Últimas considerações do livro intitulado: À flor da pele...
(Antônio Gil Neto e Edson Gabriel Garcia)
Foi presente de Pandora:
http://elfpandora.blogspot.com.br/



Qual o tamanho dos amores que as pessoas têm ou podem ter?
Ou deixam escapar ou não percebem que têm?

O que elevaria alguém a mandar um postal para outra e escrever-lhe que, mesmo diante de dentro de tantas belezas naturais, nada tinha sentido sem a presença da pessoa querida?
O que levaria a alguém a escrever um outro postal que faltava a beleza maior naquela pintura da natureza (a pessoa amada)?
Que tanto teria sentido?
E o vulcão se torna numa pálida e enorme erupção...
Se precisa de tempo, muito tempo, para entender a disponibilidade para outro amor...
Minha querida do coração, assim falava Ju como a sua "menina"...
O maior beijo desse mundo...
Seu para sempre...
Um beijo escrito já que não tenho como dar ao vivo...
Mil beijos...
Vocês já ouviram isto de alguém?

Este amor

O que fazer com este amor
Cheio de responsabilidade?
Em cada gesto uma vontade louca
Uma certeza pouca.

O que fazer com este amor
Tão pleno de pequenas lembranças
Tão forte na sua antiguidade,
Em cada beijo um sopro de vida
Uma esperança renascida
Uma descoberta abastecida.

O que fazer com este amor
Sem espaço na roda vida
Ocupado em guardar-se escondido
Nos cantos da noite
Nos pedaços das salas,
Nos traços do risco?

O que fazer com este amor
Pergunta-me o vento,
Querendo soprar para longe os
Menores sentimentos:
Escondê-los até que a vida morra,
Guardá-lo desde que a vida corra,
Matá-lo até que tudo escorra?

Responde ao vento:

Tão grande assim,
Não há limites que o prendam,
Não há riscos que o sufoque
Não há sinais que o escondam!

Tão amor assim,
Não há que ser pensado,
Tão amor assim,
Só há que ser sentido...

Como num filme... num flashbacks lindos...

"Até qualquer dia"...
(Frase final de Ju para Vi (a meninas dos olhos alegres)...

O diário (do qual falei em série totalizando dez posts) foi deixado num banco de madeira numa Praça...

Histórias assim acontecem muito mais do que eu poderia imaginar...

2 comentários:

  1. Oi Rosélia!
    Que lindo!
    Um lindo amor, puro e verdadeiro, para ser intensamente sentido.
    Beijinhos e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  2. Roselia. É sempre especial mover histórias de amor. Beijos!

    ResponderExcluir

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...