terça-feira, 12 de junho de 2012

Carta ao Marido que Deus me deu

 "A distância pode separar dois olhares, mas nunca dois corações!"  





                                   "A distância pode separar dois olhares, mas nunca dois corações!"  
 É o dia dos namorados.
                                     Faz luar e tremeluzentes estrelas pontilham o céu...
                                     Ouço música em surdina e me ponho a perguntar:
                                     Que pensamentos fluíam do teu cérebro, que sentimentos tinhas no coração, que planos tua inteligência formulava, naquele triste e fatídico momento que desde a eternidade fora determinado a ela te devolver? Pensava em Deus? Na ingratidão que recebestes? No mal que te fiz?
                                    Talvez não mais de mim te recordasses quando aquele fio – apenas um fio – que tinha o poder de tudo destruir fulminou-te, cortando teus pensamentos, teus sentimentos, teus planos prostrando-te, sem vida, em poucos segundos. Cantarolavas baixinho, despreocupado, alguma canção de amor? Ou a bebida te toldara o olhar que não viste o fio da morte suspenso sobre ti?
                                     Onde estás agora? Em que Estrela? Em que Céus? Em que Infinito?

                                     Preciso dizer-te que o rio continua a correr mansamente, que as brancas cascatas se despenham murmurando nos penhascos e que barcos singram as mesmas águas de outrora, trazendo outros viandantes que não tu.
                                     As árvores continuam a espalhar-se nas águas, balançando-se ao sabor da brisa ou se deixando açoitar pela fúria do vento. Gerações de pássaros já fizeram seus ninhos e com seu canto saudaram o nascer do sol, naqueles mesmos lugares onde estivemos.
                                    O luar, o vento, os campos, as verdes serras, os caminhos tantas vezes por nós percorridos pertencem a outras vidas que não as nossas.
                                   Preciso dizer-te que a chuva continua a cair sobre a terra sedenta, cantando e tamborilando e o vento que levanta o pó da estrada assobia sua canção, fazendo cirandar meu pensamento.
                                    Os crepúsculos tenho-os visto sozinha. As neblinas das madrugadas têm a mesma brancura da antigamente e as estações se sucedem, derrubando folhas secas, fazendo germinar sementes e amadurecendo os frutos; tenho vivido gélidos invernos, visto o alegre colorido das floridas primaveras e me lembrado tanto de ti nas inebriantes e claras manhãs de sol!
                                   Seresteiros cantam suas canções à lua, ao som de um triste pinho, crianças brincam nas calçadas. Casais de namorados passam abraçados e locomotivas uivam e ululam na curva do caminho.
                                  A vida continua...
                                  Muitas vezes, ouço a tua voz, reconheço os teus gestos, vejo os teus olhos, a cor de teus cabelos, a tua altura em alguém que passa, alguém que nunca vira e que não tornarei a ver. Aqui, detenho-me reconhecendo o teu gênio, ali, a tua valentia, em outro, a tua bondade, o teu caráter altivo e honesto...
             Todos os bons sentimentos, tudo de belo, todas estas coisas que te falo são ecos de tua presença neste mundo, são um pouco de ti, testemunhas mudas da nossa passagem juntos pelo mesmo caminho da vida.
              Hoje, Dia dos Namorados, ouço, vinda não sei de onde, a “nossa música” e senti que está perto de mim o Infinito.

  As lembranças, eu não as chamei, elas chegaram de mansinho, na música, no ar, em nada...
              Estás vivos no meu pensamento. Preciso dar-te um presente do “nosso dia”.
              As atalaias do templo estão chamando os crentes à oração.
              Entro... e diante da Virgem, oro por ti...





         

(carta presente da querida amiga Flora do Blog:  http://floradaserra.blogspot.com.br/ )


Serei atingido com mais força pelas tristezas,
se me recordar das alegrias...



(clique aqui, por gentileza, para ouvir)



Participando da iniciativa da querida Norma do blog:
http://pensandoemfamilia.com.br/blog/datas-comemorativas/convidando-voce/

namorados2


Deus nos deu lembranças
para que  possamos 
ter rosas fora da temporada.



9 comentários:

  1. Muito emocionante. Tenha uma otima semana!

    ResponderExcluir
  2. Linda, tocante e emocionante tu participação!! beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Rosélia, querida!!!

    Um grande beijo pra vc...
    Que Deus lhe proteja, lhe inunde de um amor incondicional... que lhe dê paz, harmonia....
    E que Nossa Senhora lhe cubra com seu manto sagrado....

    ResponderExcluir
  4. Oi Rosélia!
    Que linda carta! Uma homenagem do fundo de um coração que continua a viver o amor, um amor alimentado pela saudade.
    Beijinhos e um abençoado dia!

    ResponderExcluir
  5. Querida
    que postagem fabulosa. O apoio vem de aonde agente menos espera. Um bj
    Ana Brisa

    ResponderExcluir
  6. Oi Ro, a vida continua, vc diz muito bem. Este amor é do seu íntimo e pode ser ofertado a quem, hoje possa lhe retribuir, no aqui e agora,
    Sua homenagem póstuma foi linda,mas vc tem muito amor para dar e receber.
    Grata pelo carinho e atenção sempre ao meu espaço.
    bjs

    ResponderExcluir
  7. Muita emoção minha amiga que nos abraça nesta onda que se eleva neste dia e os sons surgem de todos os lados e nos faz lembrar e muito de quem muito amamos e amaremos.
    Paz e fique bem sonhando com a nova manhã.
    Carinhoso abraço de paz e luz.

    ResponderExcluir
  8. Linda homenagem
    bjs Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderExcluir
  9. Rosélia,muito linda tua carta.Beijos Gilka

    ResponderExcluir

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...