domingo, 15 de janeiro de 2012

Vale a Pena ler de Novo




BCFV- ERA UMA VEZ...(infância)


Era uma vez...


MENININHA BEM FORMOSA,
O que vai hoje nos contar?
-Fui muito linda e gentil
Com muito brilho nos olhos
E olhar angelical.

Com meus brinquinhos de ouro,
Coração não menos áureo
Me modelou meu Criador
Com firmeza exemplar!
Fui batizada pequenina e com muita emoção
Com apenas um mês e quinze dias
Vestiram-me com a minha melhor roupagem
Para receber a Mãe da Conceição como madrinha de Consagração.

O meu prestativo padrinho
Me presenteou logo um liquidificador
P'ra fazer minhas vitaminas e papinhas
Para eu crescer bem rapidinho.
Fui a mais velha filhinha
Bem cobrada e exigida
Sorte a minha, afinal
A vida não me foi nada fácil
E já estava mais preparadinha...

Com covinha no queixo e tudo
Vestidinho de brocado
Super formoso e puro luxo!
Me recordo do tecido
Cada vez que olho a preciosa foto
Me deu de regalo a moda
E até hoje aprecio um bonito vestido.

Fomos sempre manos e eu os bem mais trajadinhos
Do lugarejo onde vivemos um bocado...
Olhem só os laçarotes
Não eram fitas em forma de charme?

Fui gordinha
Rechonchudinha...
O mingau era o meu forte
Mas meu olhar
Isso eu não escondo

Do meu papai herdei, por sorte!
Expressam um misto de tristeza e de ternura
E mostram profundidade
Aos holofotes...

Percebem, logo acima, que família ajeitadinha?
A mão do papai sempre ao meu lado esteve...
Ou será que não está ainda
Para a contentação minha?

A passear no Espírito Santo
A cada férias, com alegria,
Foram momentos felizes, garanto!
E minha mente já exprimia...

Desde pequena eu já exalava
meu temperamento que adquiria
Ao observar o leite da vaca a se transformar
Dentro da garrafa numa gostosa e pura manteiga
E a comer e me regalar o doce de tomate perfeito!

Por entre os campos da roça a brincar...
Mas pensam que ficava calada
Vendo os meninos roubarem no jogo?
Qual nada!
Dizia bem alto:
"Mas que roubalheira danada!"


Fui uma menina com mãe e vó
(lado direito paralisado pelo derrame)
Vó linda que nunca deixou de me amar...
Eu sorria para as fotos tiradas pelo querido padrinho
E que sorriso largo e encantador!
Olhem só que elegância no traje e no porte ao lado da noiva...
E que traço jovial desde pequena eu tinha!


Fui um pássaro engaiolado
Com desejo de voar
Quem me dera a mama me deixasse
Subiria, com meus primos, em árvores
E já de bicicleta me poria a pedalar...
Dei boas gargalhadinhas...
Aproveitando enquanto podia
Afinal a imaginar não pressentia
Que muitas lágrimas
Em minha face rolariam...

O cabelo cacheado
Comprido à altura da cintura
Era um mimo e belezura
Essa menininha faceira
Cujas tranças modelava
A sua face brejeira

Como acima dizia
Sempre era chamada para ser dama de honra
Para mim mais uma gostosura
Toda pronta como a luva que tinha
E até dama da porta bandeira
Na parada cívica de 7 de setembro
Eu, toda prosa, ia...
E olhem bem:
Nem o rosto eu mexia.

Esse dindinho me deixou orgulhosa
Com sorriso de ponta a ponta
Me presenteou um jipinho rosa
E a carona certa eu mantinha
Com esses primos e manos eu brincava
De pique esconde, vareta e amarelinha
Toda sorte de cantiga de roda cantava
A embalar minha vida bem afinadinha.

Infância é tempo de brincar!
De boneca, de mãezinha e de casinha
De professora e de cravo que brigou com a rosa
Na mais perfeita harmonia!
Ao passar o anel de mão em mão
Tinha primos bem sabidinhos
Por serem mais velhos me enganavam
E eu bem amuada
Ficava com cara de raivinha...

Com pedrinhas de brilhante
O morto e vivo me aquecia
Dama, dominó, pega vareta
No equilíbrio me mantinha

Uma curiosidade de menina
Ao passar para a casa da vovó
Igualzinha a Chapeuzinho,
Ia com cuidado pelo caminho
Mas passava pela plantinha
Que se murchava ao tocá-la
Dormideira se chamava?

E eu a me encantar permanecia...
Ah! Tempo bom, santo Deus!
Em que brincar com as Três Marias
E a Cruzeiro do Sul
Procurando-as no Céu
Só ficava o receio
De no dedinho uma verruga ganhar...

No Ceú a contar carneirinho
Ir à praia que, na época, era bem limpinha
Com um maiô de babadinho
E na mão um lindo baldinho
P'ra esbaldar com os irmãozinhos.

O bom do temporal no interior
Era o cheirinho de chuva
Que a terra exalava
Ficava bem comportada
Ah! Cheirinho bom danado
Da INFÂNCIA e seu sabor...

Vivi uma infância coletiva
Sempre rodeada de tios, avós e priminhos
Na primeira infância o sorriso me era fácil, fácil
Debaixo da mão amiga da querida vovó Celina.

Das bonecas eu não largava
Até ouvir da mãe que me ensinava
Que eu estava já bem grandinha
Ao sair da infância tão lindinha.

P'ra papai noel eu pedia
E confiante ainda lhe deixava,
Junto às rabanadas e à aletria,
Um pedaço de manjar com ameixa
E a noite ansiosa eu dormia
No outro dia a procurar o caroço no prato
Posso dizer hoje: eu vivia!

Das brincadeiras coletivas, peripécias
Da delícia que era ser criança me ponho agora a recordar
Do quintal grande com pés de coqueiros alados
Só me resta a saudade!
Pois brincávamos de adultos
Mas, misteriosamente, permanecíamos crianças.
Dia mais feliz da minha vida
Aos 8 aninhos ainda
 

De noivinha eu vestida 
Mal sabendo que só para 
Ele Assim nesse estado o destino me poria. 
Foi um dia inesquecível 
Meu padrinho alegre me dizia: "Era isso que o sapo queria!" 
Foi nesse dia que conheci a força do amor 
Ao que sempre fiz jus, com ardor, 
Era pura demais 
Ficou um misto tão bonitinho 
Que, certamente, jamais esqueceria 
Desse dia terno e de luz
Seja bem vindo, Jesus! 
E me proteja o Anjinho da Guarda... 
Presenteado por minha tia 
Do Espírito Santo ele vinha 
Eu guardava e não perdia 
E a sua proteção sempre me guia... 
Dia mais feliz da minha vida
Aqui, na altura deste post, Um convite expresso com grande alegria: À INFÂNCIA ESPIRITUAL vajamos de forma gradual Que Teresa de Ávila nos deu um mote Ensinando ela assim nos dizia...E com que sabedoria!

Sempre fui estudiosa
desde os meus cinco aninhos
Escrevi bem direitinho: "Eu queio se pofessoia"
E o bilhete guardado foi, com tanto carinho, pelo meu amado padrinho.

Estudar foi sempre o seu lema
Desde bem pequenininha
Imposto e acatado com firmeza
Mas em compensação do meu papai amado
Tive sempre a merendinha
Curiosos p'ra saber?
As balinhas de groselha, ora essa!
Açucaradas e bem gostosinhas junto às cavaquinhas...

O meu intuito nesse post
É o resgate da minha criança interior
Tirando do fundo das prateleiras
Tudo o que me causou terror

Foram raios e relâmpagos
Cujo medo me encolhia
E os gritos da minha mãe
Que a bater quando se enfezava
Pelos manos travessos todos que apanhar tínhamos.

Daí nasceu a minha tristeza
Mas não me fez deixar de ser cativante
Me soltava e a voar ficava
Lendo histórias de fada

A Alice fez do meu coração uma maravilha
E já com a poesia em envolvia
A me perder em mil castelos
Minha vida foi marcada pelos livros
que me trouxeram uma excelente lição de vida!

Na escola tive que decorar
A carta de Pero vaz de Caminha
P'ra enlevo da professora e da diretora a me mostrar
pois a visita me esperava e eu que declamar teria.

Ih! Será que criança ainda não sou?
Acho que apenas cresci...
Percebo agora, enfim:
A minha criança não morreu em mim!

"Minha criança adivinhou, em seus sonhos, o adulto que eu queria ser. E traz alegria e esperanças à minha idade atual. Hoje sou, há muito tempo, o adulto que sonhei ser. Talvez com menos tensões, mas igualzinho em meu modo de amar a vida." 

(Artur da Távola)

6 comentários:

  1. Nossa estava mesmo super inspirada. Valeu..
    Vim entregar meu presente. Espero que goste. Passe na Curiosa e verás o que é.
    UM BRINDE A TODOS NÓS QUE FAZEMOS PARTE DESTE UNIVERSO VIRTUAL. ESTOU CONQUISTANDO COM MUITO CARINHO 22MIL VISITAS NO BLOG. SABEMOS QUE AS CONQUISTA DEPENDE UM AO OUTRO.
    MUITO OBRIGADA PELA PACIÊNCIA...AMIZADE..ALEGRIAS..CARINHO
    Sei que muito temos para dizer, mas o mais importante é agradecer por tudo, pela VIDA. Obrigada por VOCÊ existir e fazer parte de a minha vida.
    Obrigada Senhor pela nossa amizade. Mesmo virtual tem um significado muito grande, E ESPECIAL, porque ultrapassa as fronteiras das telinhas, envolve os corações, nos encantam e nos faz feliz e sermos o que somos..Simplesmente amigos para Sempre...
    Muito obrigada amigo(a), por fazer parte do meu circulo de Amigos.

    ResponderExcluir
  2. Oi Rô! Que linda ficou sua história em poema! Fotografia é tudo de bom, né? A gente volta no tempo... tanta coisa nos recorda... Você ainda tem traços da infância... Não é difícil ver você nas fotos! Bjks e uma semana abençoada Tetê

    ResponderExcluir
  3. olá qurida amiga obrigado pela força que me dá ,tudo de bom para toda a sua familia um bj. de luz.
    malhas bébé gertrudes.

    ResponderExcluir
  4. Olá, meus amigos queridos
    Há 3 dias perdi o meu e-mail do gmail e estou sem possibilidade de postar os comentários aqui... estão todos guardados no outro e-mail que os recebe também...
    Assim que puder... vou postar um a um...
    Sejam felizes e abençoados!!!
    Bjm de paz e alegria

    ResponderExcluir
  5. Que linda sua história e fotos... um mundo tão mágico que é a infância... vale a pena recordar muitas e muitas vezes!

    Desejo um ótimo ano.... e que Deus te ilumine sempre... bj no coração!

    ResponderExcluir
  6. Uau!!!! Adorei ler sobre você, amiga!!! Ficou uma postagem maravilhosa sobre uma pessoa cheia de luz!!!Amei!
    Beijocas e ótima semana!

    ResponderExcluir

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...