quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Os Quatro Cegos e o Elefante



O BLOG HOMENAGEADO DE HOJE É O DA LADY DO:


ELA POSTOU EM NOSSA BLOGAGEM COLETIVA ESPIRITUAL ECUMÊNICA E MUITO NOS HONROU.

OBRIGADA DE CORAÇÃO, AMIGA LADY.

OS QUATRO CEGOS E O ELEFANTE

Quatro cegos descobriram um elefante, como numa havia encontrado um elefante antes, apalparam-no, tentando entender e descrever este novo fenômeno. Um sente a tromba e conclui ser uma cobra. Outro explora uma das partes do elefante e a descreve como uma árvore. O terceiro acha o rabo do elefante e anuncia ser uma corda. E o quarto cego, após descobrir a lateral do elefante, conclui ser uma muralha, no final das contas.
Quem está certo? Cada um, em sua cegueira, está descrevendo a mesma coisa: um elefante. Então, todos estão certos, mas nenhum está completamente certo.

Como você imagina Deus?
Como que Deus parece quando você fecha os olhos?
Quando você sentiu a ausência de Deus?
Qual é o impacto desse aspecto desagradável ou estranho sobre a sua fé?
Quando você sentiu a presença pessoal de Deus?
Como essa experiência fortaleceu a sua fé?
Reflitamos!
Bom momento de oração...

13 comentários:

  1. As várias maneiras de ver e sentir. Parabéns à Lady e a você também querida Rosélia!! Um grande beijo no seu coração, bom dia, uma oração, um momento de reflexão :)

    ResponderExcluir
  2. Parabéns à minha afilhadinha Lady, bem reflexivo o texto, atualmente estou a ler "O ensaio da Cegueira" de Saramago, o que tem muito a ver cmg e a maneira como vemos o mundo.


    beijos flor...tenha um bom dia.

    ResponderExcluir
  3. Oi amiga!
    Linda mensagem... Eu imagino Deus como uma luz muito forte, na qual não consigo enxergá-lo... Sinto a presença dele sempre, mas sua ausência nunca :)

    beijos e um otimo restinho de semana!

    ResponderExcluir
  4. Cada um vê a verdade à sua maneira. Quem pode dizer que está errado?
    Temos uma parcial verdade em relação ao Pai, pois ainda longe estamos d"Ele. Só falamos o que sentimos em relação a ELE, significando que cada um sente diferente. Mas sempre Deus!!!

    Um beijo, de coração!!

    ResponderExcluir
  5. Obrigado amiga pelas suas palavras em meu blog, a perda une, e aqui lindas palavras.
    Beijos, Mauro

    ResponderExcluir
  6. Oi....obrigada pelo comentário.

    Seu blog é uma benção!

    Eu não vejo DEUS...eu sinto ELE em todos os momentos da minha vida...

    bjos!

    Zil

    ResponderExcluir
  7. bela reflexão, bjs e uma semana abençoda, obrigada por me visitar!

    ResponderExcluir
  8. Adorei essa história. Nos faz refletir sobre as diferentes maneiras de cada um ver as coisas.
    Obrigada pela visita e pelo carinho de sempre. Bjos.

    ResponderExcluir
  9. Sim querida Eu Imagino DEUS!!!!

    Não só imagino como o vejoooooooo
    sabes onde????

    ___EM você!!!!

    bjssssssssssssssssssssss/

    TEAMO!!!

    ResponderExcluir
  10. Querida amiga, belo texto para refletirmos...Beijocas

    ResponderExcluir
  11. A cada visita em seu blog aprendo sempre algo novo e o mais importante é que estou sempre mais perto de DEus.

    Estar aqui é uma Bênção.

    Beijos e boa noite

    ResponderExcluir
  12. Cada um vê à sua maneira, com a sua sensibilidade e todos estão certos. Adorei o post. Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Prezada Rosélia, boa noite!

    Acompanho os blogs que disponho no display de Epektasis e isso inclui o seu. Acho interessante suas postagens sobre poesia e espiritualidade. Porém, se quiser, você poderá me permitir ser politicamente incorreto neste momento.

    Como cristão, eu me equivoco ao pôr a historinha do elefante ao lado de uma passagem evangélica. E o motivo é muito simples: "ninguém jamais viu a Deus: o Filho único, que está voltado para o seio do Pai, este o deu a conhecer" (Jo 1,18). A propósito desse mistério, nossos antigos irmãos diziam em língua grega: "to phós!", ou seja, "vimos a luz!"

    E não se trata de presunção. O grande intento do cristianismo é o de testemunhar ter visto, sim, a Deus, por pura graça, em tudo o que Cristo, a plena manifestação de Deus na história, viveu, sofreu e morreu, em sua Ressurreição e efusão do Espírito. O mal está em ter visto a luz e se ocultar dela. Aí, o homem começa a apalpar o elefante da realidade.

    Se é verdade que esse Cristo se manifesta de maneiras diversas, porque o Espírito sopra onde quer, seus carismas são muitos, essas manifestações têm em vista a unidade de seu Corpo Místico, e, em última análise, do próprio Deus.

    À história do elefante, responderia: "olhe para a Cruz! Esta é a minha grande prova! Ninguém te ama como eu!" Feito isso, já não precisaremos apalpar o elefante da realidade, porque uma porta, ainda que estreita, como a cruz, está aberta para o caminho estreito que leva à Vida.

    Obrigado por proporcionar esta reflexão!

    Abraços!

    ResponderExcluir

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...