terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Poesia ( XIV )




Perdoa-me
(Enedino Vasco)

Perdoa-me quando fito teu olhar
Como quem procura no horizonte
Por um novo sol.
Perdoa-me quando ao teu lado silencio-me.
Na impossibilidade de deixar
Vir à tona meus sentimentos.
Perdoa-me por te amar tanto,
Que meu peito parece explodir,
Tamanha é a força desse amor.
Perdoa-me quando pronuncio palavras sem importância,
Quando procuro por todos os meios
Colocar um sorriso em teus lábios
Perdoa-me pela fraqueza
Se não conseguir reservar para mim
Meus próprios segredos.
Perdoa-me por te amar,
Por existires em minha vida.
E, se não puder te esquecer, perdoa-me.

Sem AFETIVIDADE, a sexualidade se mecaniza...
Sem AMOR, a vida sexual não seria saudável...
(Frei Mozza)


Um comentário:

  1. Prezada Rosélia,
    Obrigado por ter me enviado o endereço de seu site.
    Já entrei nele. Gostei de sua iniciativa. Parabéns.
    Continue evangelizando pela internet.
    Feliz Ano Novo Litúrgico para você.
    Receba um abraço fraterno de seu amigo,
    Pe. Assis

    ResponderExcluir

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...