sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A Doença Como Linguagem da Alma( V )


Estou procurando observar os sintomas como oportunidade de crescimento...
Recordo-me hoje, que, nesse ano, extraí um pólipo... teve a ver com a minha situação de imobilidade... não estava progredindo... o corpo reclamava... minha energia estava bem consumida, meu Deus!
Exigências excessivas... resignação, na maioria das vezes... conflitos a serem suportados com familiares...
Têm coisas que deslizam não como eu gostaria... Devo crescer... ser frutífera...
Hoje, pela manhã, senti MEDO... caminhando pela beira da praia, onde moro, tive uma sensação estranha... não gosto de me sentir assim, mas um amigo me disse algo que já me tranquilizou: fazer as coisas só quando tudo estiver resolvido dentro da gente... vai fazer a gente chegar à morte e nada fazer...
Isso eu havia aprendido também no Curso de TC... (TERAPIA COMUNITÁRIA) e sempre me esqueço do que tenho certeza de que é assim...
Já tive tantos problemas nervosos no passado... é incrível que me relacionando com pessoas, os nervos vão tomando elasticidade de novo... sei bem o que é estar COM NERVOS EM FRANGALHO... TER NERVOS DE AÇO...
Eu precisei inúmeras vezes de superar as exigências que me condicionavam... sendo a filha mais velha (com diferença de apenas um ano...) sempre tinha que dar muito mais... notas me eram exigidas me causando uma desidrose descoberta na juventude... e tratada... sempre recebia o dez... mas isso não me fez feliz... apesar de eu gostar muito de estudar até hoje...
Agora faço tudo para relaxar, mas tenho dificuldade ainda... a falta de espaço ainda me deixa angustiada... não tenho confiança em mim mesma... não reconheço o meu valor... busco sinais que me reassegurem... Me sinto pequena e sem valor muitas vezes... outras tantas, tenho medo do pico... do sucesso... acho até que na hora de ser feliz eu empaco...
Já não me esquivo tanto de temas cadentes para NERVOS FRACOS... vou à luta! Conto com o apoio de Deus e dos amigos que muito me ajudam...
Penso que não revido o suficiente... engulo muitas coisas... minha filha mesmo me disse isso...
Me vem uma sensação de aperto... de sufoco...
Tenho muito mais tranquilidade em mim, apesar de tudo...
Creio que teve experiência que não assimilei o suficiente... Têm umas que não foram digeridas... o suficiente ainda...
Estou satisfeita porque nesse mês demonstrei para mim mesma que a CORAGEM de enfrentar algo difícil (que é conviver com uma pessoa da família muito diferente de mim) foi resolvida com sucesso... Corri o risco e tive de Deus a Fortaleza necessária...
No passado, eu me enganava sempre... me confundia... Precisava de orientação... de um novo começo...
Tive que baixar a bola... e pisar terreno para ver melhor... precisei abdicar tantos sonhos... Que pena!
Têm coisas relacionadas aos meus sentidos que me colocam sob pressão e me ameaçam implodir...
Meu entusiasmo se abala... hoje estou mais empenhada com toda a energia a assumir a realização do meu sonho de vida...
REZO, ESPERO E CONFIO!
Meus sustos foram grandes... medos me impediram a paz interior...
Estou sem pretensões ambiciosas e me faz sossegar e ficar quieta quanto ao futuro... vivo mais o presente...
Estou mais inteira para recomeçar...
NÃO FICO MAIS ZANGADA COM MEU DURO DESTINO!
Procuro intercalar lazer e trabalho, antes não fazia isso...
Meu destino futuro vai ser lindo, estou me preparando para assumi-lo com amor.
Do ponto de vista anímico, devo liberar uma carga hereditária materna...
Há três anos sofri uma dor muito forte na perna esquerda... mal podia me conter de pé... caminhava com muita dificuldade... pois o caminho que trilhava na época era doído demais, em paralelo... Deus auxiliou-me a superar as dificuldades da época... Prossigo meu caminhar com firmeza agora...
Nunca fui apática... agradeço mesmo a Deus por ter participado da vida das pessoas mesmo não simpatizando com a minha vida naqueles tempos idos... MINHA SENSIBILIDADE NÃO FICOU COMPROMETIDA... até uma amiga comentou: AINDA CONTINUA MEIGA!
Reconheço que é graça de Deus o nosso temperamento ser controlado pelo Espírito...
A perda da energia física não me deixa medir esforço mesmo assim... outra graça...
Mesmo quando a minha vida perdeu a capacidade de suporte... ainda pude arcar com responsabilidades por mim mesma...
Me atiravam da pista... Deus me reintegrava nela... Véus foram atirados sobre meus olhos... mas a cegueira não imperou definitivamente...
Procurava olhar mesmo com um lado só ao menos... uma visão parcial é melhor do que nenhuma...
Meu pai foi um exemplo de que a autoagressão pode ser superada... nunca o ouvi dizer nada além disso: "ESTÁ TUDO BEM, GRAÇAS A DEUS"!
Da herança paterna, preciso superar o medo... que me faz senti incapaz... desamparada... e sem condição de vencer...
Hoje, procuro aliviar minha alma, me posicionar em relação às minhas fraquezas... o estresse vai sendo aliviado... a consumição vai sendo superada...
Antes, eu paralisava... as resistências me deixavam tão cansada...
Tive que me fazer como surda diante de tanta maldade que ouvi...
Deus incluiu-me no grande universo e me fez encontrar sentido... lágrimas atrasadas... nenhuma supérflua... chorei sim... foi um escape...
Li algo muito interessante a respeito do cheiro... nosso olfato rejeita o nosso próprio "cheiro"... quando a gente não pode mais cheirar-nos, torna-se forçoso o desenvolvimento em direção a materiais aromáticos cada vez mais artificiais... Lindo!
O odor de Cristo inebria o nosso ser e exala em todas as coisas o cheiro do AMOR!!!
Isso faz a vida tornar-se muito mais bela...


0 comentários:

Postar um comentário

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...