domingo, 23 de agosto de 2009

Retire-se com seu Corpo ( VII )


Publicado em 02 de dezembro de 2008 no http://espiritual-idade.spaces.live.com/

"Nada de ideais ao alcance da mão.

Gosto de pássaros que se enamoram das estrelas e caem no cansaço ao voarem em busca da luz."

(Dom Hélder Câmara)

Estamos num mês muito propício à mudanças... parece que em Dezembro todos festejam... mesmo que seja a festa do "Papai Noel"...
Tudo fica muito iluminado, árvores de Natal gigantescas, cheias de presentes, mãos laboriosas trabalhando...
As cidades ficam "encantadas"... o feio desaparece como que por encanto...
Todos compram roupas novas... calçados novos... afinal, mais um Natal chega...
As Igrejas e ruas ficam incandecentes, com nova roupagem de Advento... Que "clima"!
No ano passado, conheci o Natal em Linhares pois minha filha lá morava... Tirei fotos das casas ornamentadas por operantes mãos para concorrerem a um prêmio da melhor iluminação, a cidade fica super "iluminada"...
Constato também que, a Luz Divina que chegará em breve, fica no escondimento para a maioria que se olvida totalmente que é o Menino Jesus que irradia tal esperança de confraternização.
Alguns de nós fazemos cada preparativo belíssimo em termos de culinária... é no toque das mãos que está o detalhe... não que seja presente caro... mas é uma mão amorosa que está agilizando cada fitinha... Costumamos chamar a estas pessoas que se utilizam de suas mãos delicadas para demonstrar um carinho interior, de mãos de fada...
Aliás, minha família tem o Dom da habilidade manual. É uma beleza! Minha mãe foi confeiteira durante anos e com que esmero usava suas mãos...
Meu filho do meio é de uma precisão incrível no uso de suas mãos com os micros e similares...
Meu padrinho é também protético e com suas mãos faz proezas nas bocas alheias...
Minha filha escreve muito bonitinho e foi nota dez em redação (escreve com a alma) desde o seu tempo de primeiro grau...
Meu filho mais velho administra, com muito desempenho, ensinando os colegas de serviço...
Eu, particularmente, estou encantada com o Dom de tocar, escrever, pintar que Deus me presenteou... também gosto muito dos trabalhos manuais aprendidos desde o colégio das Irmãs Franciscanas...
Se for mencionar todos, só na minha família, daria uma rica página de habilidades manuais...
Cada família tem os seus talentos...

Então, vou passar ao tema de hoje que todos já percebemos que é este instrumento perfeito do corpo que está em contínuo trabalho e a nosso serviço.
Com as mãos nós trabalhamos, tocamos, sentimos, acariciamos, ajudamos o outro, levantamos o próximo, percebemos formas, reconhecemos texturas... mas, infelizmente também agredimos, acusamos e derrubamos o irmão... e, com estas mesmas mãos, elevamos o nosso coração e as nossas preces a Deus... dando-lhes um formato de concha podemos recolher ou ofertar... Que afago!
Mãos simbolizam, por conseguinte, poder.
Com as mãos alforramos, emancipamos mas também oprimimos...
Nossas mãos revelam o nosso caráter.
Em nível espiritual, as mãos facilitam as obras de caridade que bem conhecemos mas que, muitas vezes, preferimos ficar omissos...
No toque da nossa mão podemos revelar displlicência, repulsa, arrogância, medo ou afeto, segurança, amizade, comprometimento.
Se colocamos nossas mãos em riste, acusando... fechadas, revelando nosso egoísmo, como peso sobre os outros... estendidas, prontas para levantar e ajudar o próximo... estamos cultivando nossa própria "sentença"...
Colheremos "trigo" ou "joio"...
A Mão do Senhor nos dá a condição do amor ágape, capaz de estarmos sempre a favor do amor e do serviço...
S. Teresa de Calcutá... Irmã Dulce... (tive a graça de visitar seu túmulo na Bahia, quando estava numa Missão Jesuíta) em gestos amorosos, davam "o" exemplo, vão acolhendo os rejeitados da sociedade, atestando que, se de graça recebemos, de gaça devemos dar ...

Nesse momento posso "reparar", com atenção, como estão minhas mãos macias? Adornadas com aneis? Perceba suas mãos...

Quanta gente, de norte a sul, tem estendido a mão aos desabrigados de Santa Catarina! Que belo e justo exemplo de solidariedade, estamos todos colocando a mão na massa de verdade, assumindo a dor do outro que deveria ser a nossa...
Hoje estive pensando no sol ardente que fez para quem precisa estar na rua a serviço... me reportei logo à Itajaí... meditei se o sol iria atingir logo aquele cartão postal...
Sanar aquela tragédia antes do Natal, ao menos... O Jornal da TV disse que, em quinze dias, a água seria potável lá... Tomara!
E nas prateleiras do super mercado e das lojas comerciais o Natal está lá representado pelos doces finos (caríssimos), pelos comestíveis apetitosos (para quem não está de dieta ainda mais...), e as mãos dos comerciários cansadas por estarem trabalhando uma hora a mais... no mínimo...

Que tenho eu hoje para oferecer ao outro que me solicita (de muitos modos) em minhas mãos?
Ou lavo as minhas mãos (para não me cansar tanto ou para não me comprometer, a exemplo de Pilatos)?
O que eu posso partilhar e doar neste Natal (ao menos)?
Será que nos sobra tempo para acariciar nossos entes queridos?
Meu toque é descompometido ou afetuoso?
Posso também fazer memória de quem eu preciso dar maior atenção, de apertar a mão com suavidade quase angelical?
Afinal, é quase Natal ( Advento)!...

Se neste ano eu fizer a diferença e tocar outras mãos com as minhas próprias passando empatia, posso iniciar o ano vindouro muito mais feliz porque Deus usou minhas mãos para um verdadeiro ato de amor.

Como sugestão de oração pelas mãos, hoje dou, mais uma vez, a de Rosa Maria Ferraz e Aguirre:

Como é belo, Senhor, contemplar as obras de vossas mãos. Como é bom, Senhor, entender, saber que as mesmas mãos que me plasmaram no ventre de minha mãe estão estendidas a mim para me acolher, proteger e ungir. Neste momento de minha vida quero fazer a entrega de todo o meu ser em vossas mãos, abandonar-me nelas, num descanso total, tal qual uma criança adormecida no regaço de sua mãe. Mas, agora, sei também que, ao colocar-me em vossas mãos, de Vós receberei a unção do vosso amor, possa ofertar meu trablaho a meus irmãos.
Senhor, dai-me a graça de saber ofertar para mim, pois sei que tudo o que tenho veio de vós e que por vossa Graça recebi.
Obrigada pelas minhas mãos. Que eu as tenha como conchas para colher vossas  graças, mas abertas para ofertar tudo o que sou e partilhar o que tenho.
Que minhas mãos estejam sempre prontas para abençoar, estendidas para ajudar e unidas para dar!
Amém!

2 comentários:

  1. Gina escreveu:
    Rosélia, há muitas maneiras de se usar as mãos e você destacou muito bem o fato de que se colhe o que se planta.
    Devemos fazer bom uso dos talentos que Deus nos deu e mais vale reforçar os pontos fortes de cada um do que tentar melhorar os pontos fracos, opinião endossada pelos administradores de um modo geral. Esse post foi bem abrangente, gostei bastante.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. roselia bezerra escreveu:
    "PODEMOS ESCOLHER O QUE SEMEAR, MAS SOMOS OBRIGADOS A COLHER AQUILO QUE PLANTAMOS."
    (PROVÉRBIO CHINÊS)

    ResponderExcluir

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...