domingo, 23 de agosto de 2009

Maternidade ( I )



Publicado em 18 de março de 2009

Há exatos trinta e cinco anos, fui mãe pela primeira vez. Hoje é festa!
Foi o mais lindo dia de toda minha vida desde menina.
Me recordo da minha primeira Eucaristia, foi lindo também e me vesti de noivinha... dia inesquecível!
Mas, depois veio minha festa de quinze anos, foi lindinha também.
Aí entra a vez do nascimento do primeiro filho... parece que foi ontem e tantos anos já se passaram...

Meu menino foi chamado por mim de MEU PRÍNCIPE... tinha o apelido de NIELZINHO... e assim o foi durante muito tempo.
Ele sempre foi alegre e mimado, mas, quando cresceu, saiu um menino sério, responsável mas sensível, educado, com um enorme senso de família...
Foi sempre muito carinhoso, quando chegava de viagem do RJ ao ES, vinha carregado de coisas em seu carro... pensava em todos da família, muito preocupado em agradar sinceramente a todos, tanto a mim como aos irmãos.
Como militar que é, tem um jeitão meio "duro"... mas se "derrete" diante dos mais nobres sentimentos, como por exemplo: diante de seu filhinho e meu netinho, se torna uma doçura.
Seus companheiros de trabalho o consideram batalhador e o respeitam muito. Tem o Dom da oratória e da escrita.
Gosta muito de estudar, já está no Terceiro curso superior, nisso ele saiu a mim também (o fato de gostar dos estudos me encanta).
Hoje não estamos juntos, ele está em SP e eu no ES... mas, no início do mês, vamos comemorar como ele gosta: só em família... não pode faltar a mousse de maracujá e o pavê de chocolate com bombons...
Gosta quando faço pães caseiros e lhe presenteio... especialmente os de erva doce...
Na Páscoa se delicia com os diversos chocolates que faço, bombons... adora doces, como eu também e os demais da família.
Falar de ser mãe é simplesmente dizer que, para a mãe, os filhos serão sempre pequeninos, como se não crescessem, é assim que sinto dentro do meu coração.
Ele conserva seu jeitinho de menino, rosto bonito, sorriso largo, tem uma particularidade que é o fato de me dar a cabeça para eu beijar... sempre que chega perto de mim... e que com abraço diferente me aperta quando se vai.
Peço a Deus que me permita sempre continuar saboreando ser mãe... é o que de mais lindo ELE me deu: a MATERNIDADE.
É um amor sem limites... e sem concessões...
Ele é a minha reserva de amor.
Muito obrigado, meu filho e que Deus possa sempre continuar lhe abençoando.
O fato de você ter nascido foi para mim tão maravilhoso e realizador que quero lhe retribuir amando você com toda ternura de mãe e com toda intensidade do meu coração.
Deus te faça feliz e abençoado sempre.


Um comentário:

  1. Gina escreveu:
    Oi, Rosélia.
    O "Nielzinho" lhe permitiu uma dupla bênção: ser mãe e avó. Que Deus o acompanhe e que ele continue fazendo a parte que lhe cabe nesse mundo. As oportunidades surgem a cada momento. Parabéns, Dani!
    Beijos aos dois.

    ResponderExcluir

Deixe sua espiritualidade aqui.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...